Declaração de Imposto de Renda 2018: Quais os detalhes do Síndico e Condôminos?
09/03/2018
Síndico, você sabe qual a importância do seguro condominial?
08/06/2018

O que é administrar um Condomínio?

 

Parece uma pergunta simples, e haverá respostas simples. Mas não. É uma pergunta complexa.
Administrar um Condomínio é ter um conjunto de habilidades técnicas e pessoais. É saber distinguir entre saber e achar que sabe. É ter consciência do que não sabe, das limitações e buscar suporte quando necessário.
Achar que sabe é um perigo. Achar, está relacionado com supor, e supor que sabe uma coisa que não tem um conhecimento mais profundo e minimizar problemas, podem gerar possíveis consequências desagradáveis, com a possibilidade de prejuízos para o Condomínio.
E de quem é a responsabilidade do prejuízo para o Condomínio? Do Síndico.
Sabemos que o Síndico é o responsável pela Administração do Condomínio. Ele terá que ter atenção nos diversos setores que compõem o Condomínio, mantendo-o dentro das legislações vigentes e ainda sustentar custos baixos na gestão.
 É natural, ele não ter conhecimento profundo de todos estes setores. O que é normal, fugiria da regra se fosse o contrário. Porém deverá ter noções do código civil, leis trabalhistas, noções de contabilidade, manutenções e de relacionamento pessoal. Para assessora-lo, precisará contar com um time de profissionais competentes para conduzir a uma boa gestão.
Terá necessidade de uma boa administradora de condomínio, engenheiro, jardineiro, contador, advogado, corretor de seguros, profissionais de manutenção, entre outros. A demanda de profissionais dependerá do porte e complexidade do Condomínio. Por vezes um Condomínio pequeno pode ser tão complexo quanto um empreendimento maior.
Saber lidar com pessoas é tão importante quanto ter noção de técnicas de gestão para o Síndico ter sucesso na administração de um Condomínio. Terá que manter um relacionamento adequado com funcionários, moradores e prestadores de serviço. Ele precisará ser bom ouvinte, educado, conciliador, político e líder, e na medida do possível ser um facilitador do bem-estar geral do Condomínio.
Administrar um Condomínio é ficar atento a promessas sedutoras e milagrosas de simplificação dos eventuais problemas, procedimentos e condutas. Vivemos no Brasil, um país burocrático, onde os Condomínios mesmo não tendo personalidade jurídica são equiparados a uma empresa, devido ao grau de complexidade. Não existe milagre, e os jeitinhos podem sair muito caro.
 A tecnologia e automação, estão aí. Elas devem ser utilizadas para auxiliar e facilitar os trabalhos, a redução de custo e acesso a informação. Vale ter atenção no sentido que elas nunca substituirão um olho no olho, um aperto de mão e um sincero “eu te entendo”.
Resumindo: Administrar um Condomínio é planejar despesas de forma equilibrada com o que se arrecada, prestar contas, gestão do tempo, ter responsabilidade, ser criativo, ser observador, ser organizado, antecipar problemas, ter atenção nas atividades operacionais e rotineiras, contratar bons profissionais, ter conhecimentos administrativos e contábeis, planejar, tomar decisões e acatar as decisões da assembleia, gerir funcionários, intermediar conflitos, ter paciência, ser ético, ter tempo para a função, e ter tolerância com as críticas, porque por melhor que o seja o trabalho desenvolvido, não agradará a todos.
Sim como falamos no início, é uma atividade complexa, mas não precisa ser enfadonha, ela pode ser gratificante se tiver dedicação, boa vontade e prazer em ver o bem-estar geral que a boa gestão do Condomínio pode gerar, enfim, saber servir.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *